Faleceu o Padre António Antunes de Brito

  • Imprimir
Antonio Antunes BritoFaleceu, no passado sábado dia 12 de setembro, nos Hospitais da Universidade de Coimbra, o Padre António Antunes de Brito, um sacerdote, que segundo o director do nosso jornal “cativava pela sua bondade e pelo seu espírito de acolhimento afável”.
O Padre António Brito nasceu na freguesia de Vidual de Cima (Pampilhosa da Serra) no dia 14 de junho de 1930, filho de Alberto Antunes de Brito e de Maria José Pereira, entrou para o Seminário da Figueira da Foz no dia 4 de outubro de 1949 e mais tarde para o Seminário Maior de Coimbra, onde sempre se distinguiu pela sua humildade e pelo apego ao estudo da teologia, vindo a ser ordenado presbítero a 15 de agosto de 1961, na Sé Nova, por D. Ernesto Sena de Oliveira.
Iniciou o seu múnus pastoral a 24 de setembro de 1961 como Pároco de Colmeal e Cepos; Depois foi nomeado pároco de Alvares a 20 de janeiro de 196; de Portela do Fojo a 28 de maio de 1972 e de Tábua a 10 de março de 1974. Foi ainda Pároco interino de Ázere em 17 de maio de 1976 e pároco de Candosa desde 13 de outubro de 1991. Em 1992, a 25 de outubro, foi nomeado pároco do Louriçal e, pouco depois, a 5 de novembro, capelão do mosteiro das Clarissas, de onde saiu por graves problemas de saúde, passando a viver em Coimbra. Veio ainda a ser nomeado pároco in solidum de Ribeira de Frades a 18 de outubro de 1998.
No período em que foi pároco de Tábua, foi ali também arcipreste desde 14 de fevereiro de 1982.
O seu funeral realizou-se na passada segunda-feira com missa de corpo presente na igreja de S. José de onde seguiu para a igreja do Vidual onde o Sr. Bispo, D. Virgílio Antunes presidiu às suas exéquias e daí para o cemitério local onde foi sepultado.
À sua família, na pessoa da irmã Maria José, que sempre o acompanhou na vida pastoral e o assistiu na doença, apresentamos as mais sentidas condolências.